Como lidar com os efeitos da altitude em Cusco

23112014-IMG_3732 Mais cedo ou mais tarde em Cusco sentimos a altitude. Estamos 3.400 metros acima do nível do mar, e a pressão parcial do oxigênio, ou seja, a disponibilidade do mesmo para a nossa respiração é menor do que estamos acostumados no Brasil.

Alguns não sentem quase nada, e outros sempre sofrem um pouco (como eu). Os sintomas mais comuns do mal de altura são dor de cabeça, falta de ar, fadiga, transtornos digestivos e do sono, e falta de apetite. Para a maioria dos turistas isso pode atrapalhar bastante a viagem. Continuar lendo

Anúncios

Nova fase da minha aventura: um ano em Cusco!

Praça de Armas de Cusco
Praça de Armas de Cusco

Há exatamente dez meses eu iniciava minha aventura na Cidade do México, a Gran Tenochtitlán, antiga capital do Império Azteca. Dez meses mais tarde, na Cidade de Cusco, o umbigo do mundo, antiga capital do Império Inca, minha aventura passa para uma segunda fase. Continuar lendo

Dica para aproveitar melhor a visita a Machu Picchu

machu picchu saturada
Machu Picchu, enquanto destino para nossas próximas férias, é sinônimo de lugar mágico, esotérico, cheio de energias, bom para meditação, etc. É o que esperamos quando vamos à cidade perdida dos Incas.

As ruínas são um dos principais destinos turísticos da América do Sul, e recebem cerca de 3000 visitantes por dia. Isso significa que para aproveitar a cidade da forma como você imagina, como um lugar de reflexão e troca de energias, a principal dica é: chegue cedo! Continuar lendo